Fotografia do "Rio Cávado, no Gerês"

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Foz do Cávado (1)

Passeio junto da foz do Cávado.
Início na Pousada da Juventude da Foz do Cávado, em Fão, repouso na praia de Ofir, caminhada pela praia, regresso ao Bom Jesus de Fão, onde havia festa, bem pegadinho à Pousada.
Noite mal dormida, ao som do "tum-tum" da barraca dos CDs.
Festa é festa!...


3 comentários:

Valvesta disse...

Abrir a porta dos sonhos,deixar entra a fantasia e ser feliz.
Boa semana,beijos

Eduardo Aleixo disse...

Obrigado, amiga, pelas lindas fotos. O meu poema só não fica mal porque os sonhos estão sempre desculpados. E as nascentes não merecem o que estão a fazer ao mundo.Gosto dos rios. E das cabanas à sua beira. As cabanas que são sonhos de poemas sobre cabanas de sonhos onde desaguam todo os sorrisos dos sonhos de onde despertamos e já não nos lembramos... Acho o mundo muito estranho, quando pemso nele. Por isso já nem penso!
-
O cidadão alentejano do mundo, EA

utopia das palavras disse...

Somos fontes inesgotáveis de sonhos...pena que os nossos sonhos não sejam os sonhos de quem tem o mundo nas mãos!!!

O poeta das águas e Portugal a Descobrir são sem dúvida duas fontes...de inspiração!

Beijo aos dois