Fotografia do "Rio Cávado, no Gerês"

domingo, 2 de novembro de 2008

2008 - Resende - Torre da Lagariça

Ainda em S. Cipriano, na quinta da Lagariça - Resende, uma visita à "Ilustre Casa de Ramires" - obra literária de Eça de Queirós, escrita neste local onde passava férias de Verão.



http://fredb.sites.uol.com.br/ramires.html


Casa da Torre da Lagariça (Ilustre casa de Ramires)

“A torre, antiquíssima, quadrada e negra, sobre os limoeiros do pomar que em redor cresceram, com uma pouca de hera num cunhal rachado, as fundas frestas gradeadas de ferro, as ameias e a miradoura bem cortadas no azul de junho, robusta sobrevivência do Paço acastelado da falada Honra de Santa Ireneia Solar dos Mendes Ramires desde os meados do século X”in “A Ilustre Casa de Ramires”





Análise da Obra


Gonçalo e Portugal: dois destinos inseparáveis
A Ilustre Casa de Ramires é um romance de clara dicção realista no qual Eça de Queirós tenta sintetizar na figura de Gonçalo as fraquezas e as grandezas de Portugal, fazendo de seu destino pessoal uma “alegoria” daquilo que lhe parecia ser a única saída possível para os impasses e contradições de um país outrora tão poderoso (Idade Média e Renascimento), e hoje (final do século XIX) tão decaído. Na trajetória pessoal de Gonçalo nós encontramos uma interpretação corajosa da alma portuguesa contemporânea de Eça de Queirós. A covardia deste fidalgo, sua pusilanimidade, suas aspirações de um futuro glorioso, suas crises de consciência, tudo é Portugal indeciso diante de seu presente e de seu futuro. Assim, o destino de Gonçalo traduz muito daquilo que Eça de Queirós (na fase final de sua produção literária) acreditava ser o caminho viável para o país: a retomada das tradições e do ilustre passado português materializados na veia expansionista e colonialista da nação, outrora um dos maiores impérios do mundo.
...



2 comentários:

Angel of Light disse...

Que bom Lucy... voltar-te a sentir.

As tuas fotografias como sempre fantásticas... Agora mais direccionadas para a Terra/Gaia. Ela precisa mais de nós agora do que o Céu, a nossa "Casa". A esse regressaremos quando tiver de ser.

Fazes muito bem em mimá-la com o teu olhar... que é sempre tão lindo e especial.

Gosto muito de ti. Cobro-te de luzinhas com as cores que carrego nesta encarnação - dourado e rosa!

Beijinhos de Amor, Paz e Luz!

Eduardo Aleixo disse...

Concordo inteiramente com Angel of Light.
Beijos para ambas.
Eduardo