Fotografia do "Rio Cávado, no Gerês"

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

2009 - VNFamalicão - Bernardino Machado

"TUDO NO UNIVERSO CAMINHA ANSIOSAMENTE PARA A LIBERDADE"



"CORAGEM? NUNCA ME FALTOU!"



- PIONEIRO NA DEFESA DA CIDADANIA FEMININA



"SER INSTRUÍDO É SER LIVRE!"

O MUSEU DE BERNARDINO MACHADO, em Vila Nova de Famalicão:



http://www.aebmachado.com/?i=main_menu&dn=22&n=23&pt=AGRUPAMENTO

«...à conversa com Júlio Machado Vaz, oriundo da família que celebrizou o Solar de Mantelães, bisneto do Presidente da República Bernardino Machado, que passou os últimos anos no recato de Paredes de Coura e que por cá deixou raízes. O que o liga a Paredes de Coura?
Sou bisneto de Bernardino Machado e o mais novo da minha geração, passei a juventude a escutar as histórias das reuniões familiares em Mantelães...» (Notícias de Coura)


http://www.noticiasdecoura.com/index.php?pag=noticia_detalhes&recordID=3181
Bernardino Luiz Machado Guimarães, nasceu no Rio de Janeiro, em 28 de Março de 1851, filho de pai português e de mãe brasileira.
Regressando a Portugal, em 1860, a família estabeleceu residência na freguesia de Joane, onde possuía alguns bens de fortuna.
Em 1872, atingindo a maioridade, o futuro estadista, declarou na Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão que optava pela nacionalidade portuguesa.
Vocacionado para uma carreira científica, pedagógica e política tão brilhante quanto invulgar, nunca enjeitou a sua ascendência popular e nortenha, apesar de o pai ter entretanto adquirido, por decreto real, o título de Barão de Joane.
Com 28 anos de idade, era já catedrático na Universidade de Coimbra. Desempenhava as funções de Professor universitário, acumulando a regência de várias cadeiras com outros cargos ligados àquela instituição de ensino. Como escreveu o Professor Doutor Rogério Fernandes, profundo conhecedor da actividade do estadista em prol da instrução, poderemos concluir: “ (...) O pensamento e a acção de Bernardino Machado tem como pólos essenciais a democratização do acesso ao ensino, em condições de igualdade e a transformação dos seus conteúdos em ordem a ligá-los à vida, ao trabalho, à ciência, à cultura...”.
É sobretudo nesta última perspectiva que a obra pedagógica do professor e do homem público ainda hoje nos impressiona pela “actualidade” das suas ideias.
Como político, Bernardino Machado foi Deputado Regenerador (desde 1882 até 1886), Par do Reino (1890 até 1894), Ministro das Obras Públicas, Comércio e Indústria (1893).Em 1903 aderiu ao Partido Republicano. Proclamada a República, desempenhou, sucessivamente, os cargos de Ministro dos Negócios Estrangeiros do Governo Provisório (1911., Senador, Ministro de Portugal no Brasil (1912), Chefe do Governo (1914) e Chefe de Estado (1915 a 1917).
Foi deposto de Chefe de Estado e exilado em França. Regressou a Portugal em 1919 e, pela segunda vez, percorreu os cargos de Senador, Chefe do Governo e Presidente da República (1925).Em 28 de Abril de 1944, terminava uma vida conduzida até ao fim pelo perfil que desde sempre o caracterizou: “ (...) O homem público só para os outros vive, consumindo-se”.
Está sepultado no Cemitério Municipal de Vila Nova de Famalicão. É ainda de referir que permanece intacta a casa de seus pais na Vila de Joane, no lugar de Cividade.
Na cidade de Vila Nova de Famalicão, nasceu, entretanto, no Palacete Barão da Trovisqueira, o Museu Bernardino Machado.

5 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

Lucy, o teu blogue é de grande utilidade. É feito com rigor. É pedagógico. Eu aprendo muito. A reportagem sobre a vida e obra de Bernardino Machado é disso exemplo.Claro que muitas terras têm museus como esse, respeitante a outras pessoas importantes. Mas é importante que nós divulguemos. E tu fazes isso. Para além de útil, o teu blogue é belo: tens fotos magníficas. Obrigado por te ter conhecido. E já agora: " ser instruído é ser livre " Concordo. A liberdade é a coisa que mais prezo.
Recebe um beijinho meu.
Eduardo

Astrid Annabelle disse...

Lucy querida amiga!
Estou voltando à net hoje e atualizando as visitas aos amigos...
O comentário do Eduardo Aleixo diz com muita propriedade o que sinto e penso sobre este seu blog!
Um ponto de referência e de excelência!
Um beijo bem grande
Astrid Annabelle

Lucília Ramos disse...

Obrigada aos dois amigos: Eduardo e Astrid. Beijo

Eduardo Aleixo disse...

Bernardino Machado. Reli o seu pensamento e obra. Reli o que aqui escrevi há dois anos. Voltaria a escrever o mesmo. Com o seguinte acrescento: Portugal precisa de mais gente grande como ele. E outro acrescento: que bom ser teu amigo. E outro: teu blogue é espaço que não perco. E acrescento: um beijinho.

Lucília Ramos disse...

Obrigada pelo carinho,Edu. Um beijinho para ti, também. Lucy