Fotografia do "Rio Cávado, no Gerês"

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Museu da Indústria Textil - VNFamalicão



A história recente do Vale do Ave, região em que o concelho de Vila Nova de Famalicão se insere, é indissociável da história do advento e implantação da indústria têxtil que, a partir de meados do século XIX lhe veio trazer novos ritmos económicos, sociais, culturais, diferentes formas de vida e profundas alterações paisagísticas.

No concelho de Vila Nova de Famalicão esta história remonta a 1896, data em que a primeira fábrica têxtil algodoeira moderna - a Sampaio, Ferreira & Cª - é fundada em Riba de Ave.

É esta história que o Museu da Indústria Têxtil procura preservar e transmitir: a história das fábricas, dos meios de produção, das alterações económicas; mas também a história das milhares de pessoas cujo percurso de vida se revê nesta actividade; e ainda as profundas transformações paisagísticas da região.

Procurando uma profunda inter-ligação tema-meio, o Museu da Indústria Têxtil tem necessariamente como missão contribuir para a identidade de uma população entre si, abolindo num tecido histórico comum a existência de possíveis diferenças. Mas também contribuir para a sua identidade com um espaço e tempo próprios, contra o anonimato em que o correr da história, de outro modo, forçosamente a lançaria, devolvendo à comunidade local a memória do seu próprio passado.




A sul de Vila das Aves, corre o rio Vizela, afluente do Ave, ao qual se junta ... a maior fábrica de fiação e tecidos da península),...

Fábrica de Fiacção e Tecidos Rio Vizela, na Vila das Aves. Fundada no séc. XIX.


Uma jovem trabalhando num tear na Fábrica Rio Vizela... mais tarde passando para a Fábrica Sampaio, Ferreira & Cª, em Riba D'Ave.



Uma Saudade para ser sempre guardada no coração.

(-Quantas noivas vestiste, as tuas mãos de fada levaram-te a criar verdadeiras obras de arte num país que não era o teu. Lindo canto de cisne!...)



3 comentários:

Agulheta disse...

Lucy !O conheco bem estas paisagens e a fabrica do que falas,pois a alguns anos atrás trabalhei em Vizela,e sabia e via muitos trabalhadores de lá,já tivemos um ano um almoço de bombeiros,não nesta fabrica mas da Baiona que deves conhecer? é muito triste ver as pessoas que gostamos ter de ganhar o pão para outros lugares,aqui em Fafe,haviam muitas fabricas que fecharam,entre as quais a da Fiação e Tecidos do Ferro,onde teve 1.500 operários,todos eles vieram embora,e o vale do ave sofre bastante com isto.
Gostei de ver.
Beijinho bfs e carnaval

Lisa

Lucy disse...

Pois é amiga Lisa, por aqui é o que está mesmo acontecendo a toda a hora, é vermos as grandes fábricas a fecharem e não haver alternativas para os operários desempregados. Não me parece, também, que a emigração seja a saída, pois o mesmo está a acontecer pelo mundo inteiro. Sinais dos tempos que poderão ser bem dolorosos para todos nós.

Um beijinho e volta sempre com notícias de Fafe.

Lucy

Anónimo disse...

Mais sobre "O Têxtil do Vale do Ave" em:
ecfamalic - portugal

http://sol.sapo.pt/photos/ecfamalic/picture171639.aspx