Fotografia do "Rio Cávado, no Gerês"

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Música Tradicional... para alegrar a Mãe Portuguesa

Em 3 de Maio de 2009, o Grupo Musical Pedra D'Água, fundado em 1989 na Vila de Joane - Vila Nova Famalicão, deu um espectáculo com "AS MAIS BONITAS" canções de seu repertório, no Theatro Circo em Braga. 

A música tradicional portuguesa, com arranjos musicais que passam "através dos sons emprestados pelo violino, bandolim, braguesa, viola, cavaquinho, baixo acústico, concertina, percussões e voz, principalmente a voz" - como o próprio grupo define, traz-nos um 'toque especial' da música popular, muito agradável de ouvir.
Também foram 'emprestados' alguns músicos, como o pianista, o violoncelista e o grupo das concertinas. E, ainda, tivemos o prazer de assistir a alguns quadros de dança, pelo Grupo Etnográfico Rusga de Joane.


O Grupo Pedra D'Água gosta de trabalhar em parceria, o que torna o espectáculo mais envolvente e animado. Foi sem dúvida um belo presente para todas as mães que se deslocaram ao Theatro Circo, para as mais velhas o avivar de memórias de cantigas de outros tempos, para as mais novas uma amostra 'moderna' da música popular, num bom retrato de um povo que ainda é português.


Parabéns Pedra D'Água e o meu mais sincero apreço pelo vosso trabalho!
Mais informações aqui:http://pedradagua.no.comunidades.net/
http://rusgadejoane.planetaclix.pt/index.htm


6 comentários:

cova-do-urso disse...

Perfeito!

Eduardo Aleixo disse...

Lucy: como sempre, um espaço belo e útil, pedagógico. Só agora me foi possível revisitá-lo. Vim do Alentejohá horas e foi bom ouvir de terras do Norte a voz ardente da minha terra. Canção do povo que eu canto, e bem. E com gosto. Sem vaidadeso digo e sem falsas modéstias. Ja vi emails teus e da Nelinha. Não vou ter tempo para responder esta noite. A minha ida a Mértola não foi alegre, como não vai sendo alegre de cada vez que vou ver minha mãe. Infelizmente. Mas a vida...Gostei de ler os versos da Ausenda. É uma grande poetisa. Os versos dela falam do tal equilíbrio lírico-telúrico do amor lunar da aventura, mas sequioso da casa, da gruta, da cabana. Como a compreendo! Adiante. Mais adiante: não conheço Ponte Pedrinha, mas quero que saibas que, filho da planície e do vento suão, e das noites cálidas, ficava, como uma criança, encantado, sempre que passava pelas curvas da estrada que descia até Castro Daire: a neve nas bermas, a paisagem... Agora compreendes que chegando a Lamego para almoçar, e como homem do sul, peça um cabrito com batatas no forno e vinho maduro ( que o berde nã é binho, é bebida, sem ofensa, claro! ). Obrigado, mais uma vez, pelo teu talento descritivo e fotográfico. A Rita... não teve tempo para te agradecer. Teve muitos problemas e chatos. Mas não leves a mal. Amanhã o meu blogue faz 1 ano de existência. Vou dizer alguma coisa como aniversário. Pouca. Mas estou em tempo de balanço. De uma coisa quero que saibas: gosto muito do teu blogue, gosto também de te conhecer e isso é bom . Força. Beijo.Tzambém para a maan Nela.

Nela disse...

Eduardo,

Eu também fui com a minha mana ver os "Pedra d´Água" e foi...diferente de se ver ao vivo!
É que ao vivo, tudo tem cor e graça!

Por falar em graça, o "Eduardinho" é uma gracinha simpática, sempre a mandar cumprimentos à minha pessoa. Agradeço a amizade e retribuo, pois já vi que é mesmo amigo e sincero.

Fique bem e saiba que aprecio a sua maneira de relatar os depoimentos que escreve, eu, é que sou muito ignorante para tanta erudição, meia a sério, meia à Maria da Fonte, o Eduardo lá vai levando o cântaro a jeito...

Bem...saudações da amiga Nela

Anónimo disse...

E assim se vê que não é só em Lisboa e Porto que há espaços bonitos como este teatro, que do que vi parece lindo! Linda é também a côr deste fundo, uma das minhas preferidas desde sempre. O Imeem é que anda numa avareza, só a dar 30 s de música.
Lindo é eu sentir esta emoção ao ouvir estas vozes bem portuguesas, com cantares bem portugueses.
BIBA PORTUGALE!

Branca avermelhada ( vai pensar que é do sol...:)
Beijinho grande

utopia das palavras disse...

Esta foi uma viagem pelo meu canto, canto da raiz que ostento com tanto orgulho! Pedra D`Água é um espanto, belos arranjos musicais das músicas que eu tão bem conheço em tantas bocas cantadas e na minha também. EXCELENTE GRUPO!
Deve ter sido um espéctaculo inolvidável!
Quem dera estar em Braga nestes dias. Agradeço-te por trazeres até nós este cheiro intenso de musica tradicional num templo como é o Teatro do Circo.
Pontuação máxima neste post! Adorei!
E não é que o nosso Poeta das Águas me encantou outra vez?

Beijos, Lucy

Lucy disse...

António, Eduardo, Nela, Branquinha avermelhada, Ausenda,

Muito gosto em ler os vossos comentários e sentir a vossa presença.

Foi, realmente, uma bela tarde passada à beira destes amigos do grupo musical Pedra D'Água e, ainda por cima, num espaço tão belo como o do Teatro Circo de Braga.

Um abraço para todos e voltem sempre.

P.S - Não haja dúvida que este "Poeta das Águas" já tem aqui o seu grupinho de fãs!...
Até a Maria F. anda numa roda 'biba' a aprender a teclar só para o 'oubire' cantar à moda alentejana. Pede ela para lhe enviar um 'bídeo' - só para testar se é assim tão bom nas cantigas como nos 'bersos'... e nestas prosas.