Fotografia do "Rio Cávado, no Gerês"

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Ribeira de Pena e Camilo Castelo Branco

Vilarinho da Samardã, em Vila Real, e Ribeira de Pena, foram os lugares que acolheram Camilo Castelo Branco na sua infância e juventude.
Uma visita pelos caminhos calcorreados pelo nosso escritor de S. Miguel de Seide, nos seus mais jovens anos, leva-nos a sentir, explorar o seu mundo tão rico em vivências e sentimentos e a compreender melhor os seus romances.

Na foto: Dr. Guimarães, da Casa da Cultura de Ribeira de Pena, lendo a ficha de visita de FRIÚME, inserida no
Roteiro Camiliano em Ribeira de Pena



Ribeira de Pena: Roteiro guia turistas por locais onde Camilo viveu

(Notícia saída a 27 de Agosto de 2007, no MARÃO Online)
«Os locais ligados à passagem de Camilo Castelo Branco por Ribeira de Pena, como a casa onde viveu ou a igreja onde casou, servem de guia aos turistas através de um roteiro preparado pela autarquia local. A Câmara de Ribeira de Pena formou ainda seis técnicos, quatro da autarquia e dois da Santa Casa da Misericórdia local, para acompanharem os turistas que pretendam percorrer o circuito turístico-cultural sobre a passagem do autor de "Amor de Perdição" pelo concelho.

O autor do roteiro, Francisco Botelho, disse à Agência Lusa que, embora a maioria dos visitantes seja do universo escolar, a autarquia quer atrair mais turistas ao concelho.

Camilo Castelo Branco nasceu em Lisboa a 16 de Março de 1825 e ficou conhecido por cerca de uma centena de obras que escreveu e pelos romances agitados, acabando por se suicidar na sua, casa em São Miguel de Ceide, a 01 de Junho de 1890.

Apesar da passagem de Camilo Castelo Branco por Ribeira de Pena ter sido curta, a verdade é que, segundo o responsável, aquele concelho marca "definitivamente" a sua obra.

Francisco Botelho salientou que a novela "Maria Moisés", por exemplo, é toda ela passada em Ribeira de Pena, acreditando-se que o "Lobisomem" retrata o seu namoro com Joaquina, uma mulher da localidade de Friúme com quem casou aos 16 anos e teve uma filha.

O autor do roteiro diz que o Roteiro Camiliano pretende "essencialmente divulgar o património de Ribeira de Pena".

O roteiro inclui seis locais de Ribeira de Pena ligados ao escritor, como a casa onde viveu em Friúme, a Igreja do Salvador onde casou aos 16 anos, a Capela de Nossa Senhora da Guia, a Capela da Granja velha e a Ponte de Arame.

O circuito leva ainda os turistas ao concelho vizinho de Cabeceiras de Basto para visitarem a Ponte de Cavez, uma edificação do século XIV junto à qual se localizam a Casa da Ponte e a Capela de São Bartolomeu, elementos que Camilo utilizou como cenário do conto "Como ela o Amava!", das "Noites de Lamego", e de um dos actos de "O Lobisomem".

Francisco Botelho serve, muitas vezes, de guia aos turistas e visitantes e, ao mesmo tempo que revela os locais de Camilo, oferece também uma leitura de textos do escritor relacionados com esse espaço.

Friúme foi a povoação para onde Camilo foi viver em 1840 ou 1841, em casa de sua prima Maria do Loreto, e onde conheceu Joaquina Pereira de França, com quem veio a casar.

Foi na Igreja do Salvador, construída na segunda metade do século XVIII em estilo barroco e devido à benemerência de um emigrante no Brasil, Manuel José de Carvalho, que Camilo casou a 18 de Agosto de 1841 e onde também terão sido afixados alguns dos seus versos.

Estes versos ridiculizaram um "morgado visigótico", que, conforme o próprio escritor revela, foi obrigado a fugir de Ribeira de Pena.

"Os punhos eram certamente verdadeiros, o castigo acredito que merecido, mas tudo não terá passado de um pretexto para iniciar novos voos, que uma terra pequena e fechada como Ribeira de Pena não permitiam ao génio do futuro romancista", frisou Francisco Botelho.

Ainda em Ribeira de Pena, Camilo frequentou as aulas do Padre Manuel da Lixa, na Granja Velha, que o próprio descreveu como "sujeito de não vulgar lição e bom velho, sobretudo".

"Ribeira de Pena não era terra para Camilo Castelo Branco, mas a sua arte teria sido bem mais pobre sem o manancial humano que o escritor ali bebeu em dois curtos anos de vida", sublinhou.

A Ponte de Arame sobre o rio Tâmega não existia no tempo de Camilo, e terá sido, segundo Francisco Botelho, construída no princípio deste século a fim de permitir a ligação entre a Ribeira e Santo Aleixo mesmo nas épocas de cheias.

Mas é, de acordo com o responsável, o "local ideal para imaginar as passagens do Tâmega" descritas pelo romancista em textos como "Doze Casamentos Felizes" ou "Maria Moisés".

Esta estrutura, com cerca de 70 metros de cumprimento e totalmente feita de arame, é um dos locais mais visitados no concelho de Ribeira de Pena.»

Fonte:
MARÃO Online


Ver o relato completo desta viagem aqui, no blogue "Noites de Insónia:

http://noitesdeinsonias.blogspot.com/


Em 9 de Julho de 2011
Nos passos de Camilo - um roteiro que vale a pena seguir!

5 comentários:

Astrid Annabelle disse...

Olá Lucy!
Mais um passeio gostoso. Vi a sua filha e seu genro. O lugar é lindo...lindo mesmo!
Quanta história!
Um beijo grande com saudade.
Astrid Annabelle

Manuela ramos Cunha disse...

Um passeio glorioso, apesar de ser entre a chuva e o sol - o que dá bom casamento - e que assim... satisfez os convivas, a mais uma oportunidade de conhecer Camilo e a sua juventude.

É bonito Ribeira de Pena!

A minha indisposição fez com que não fosse, mas a ver pelas fotos, o passeio foi um sucesso!

Beijinhos da Nela

Eduardo Aleixo disse...

Qualquer dia vou a Ribeira de Pena, lugar que há muito desejo visitar. Gostei da tua reportagem. Boa semana.

Campista selvagem disse...

Ribeira de Pena,uma maravilha em quase todos os aspectos.
Ainda que tivesse noção da passagem de Camilo por lá não tinha ideia de alguns factos, um dia destes estive em Vila Real na casa onde viveu Camilo,será um pretexto para visitar de novo Ribeira de Pena,e claro aproveito eu lá vai mais uma descida no slaide maravilha, para a doença da moda.

Astrid Annabelle disse...

OLÁ LUCÍLIA BENVINDA!
Estou aqui passeando com você por seus posts...matando a saudade do tempo bom que estive entre vocês!
Um beijão.
Astrid Annabelle