Fotografia do "Rio Cávado, no Gerês"

sábado, 18 de abril de 2009

Ainda por Trás-os-Montes: Alto Douro Vinhateiro

Ainda em passeio familiar de Páscoa, agora da Lousa - Torre de Moncorvo, por Carrazeda de Ansiães, Sabrosa, Alijó, Pinhão... com passagem por um troço da Linha do Tua.



A Linha do Tua é uma linha de caminho-de-ferro de via estreita, que liga a estação da Foz do Tua, inserida na Região do Douro Vinhateiro – Património da Humanidade (UNESCO – 2001), onde passa a Linha do Douro, à cidade e capital de distrito, Bragança. É uma obra-prima da engenharia portuguesa com 120 anos de História, cujo arrojo permitiu a passagem dos comboios pelos rochedos intransponíveis do vale do Tua e pelas serras do Nordeste Trasmontano. Movimenta todos os anos dezenas de milhares de turistas que aqui vêm de propósito para visitar o vale e viajar no comboio, em união com o turismo no Douro – com a reabertura da Linha do Douro à Espanha serão ainda mais – e milhares de outros passageiros, sobretudo locais, que não dispõem de outro meio de transporte para além do comboio, para as suas deslocações diárias – escola, centro de saúde, feiras.


A Região Vinhateira do Alto Douro ou Alto Douro Vinhateiro é uma área do nordeste de Portugal com mais de 26 mil hectares, classificada pela UNESCO, em 14 de Dezembro de 2001, como Património da Humanidade, na categoria de paisagem cultural e rodeada de montanhas que lhe dão características mesológicas e climáticas particulares

Esta região, que é banhada pelo Rio Douro e faz parte do chamado Douro Vinhateiro, produz vinho há mais de 2000 anos, entre os quais, o mundialmente célebre vinho do Porto.

A longa tradição de viticultura produziu uma paisagem cultural de beleza excepcional que reflecte a sua evolução tecnológica, social e económica.

A área classificada engloba 13 concelhos: Mesão Frio, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Vila Real, Alijó, Sabrosa, Carrazeda de Ansiães, Torre de Moncorvo, Lamego, Armamar, Tabuaço, S. João da Pesqueira e Vila Nova de Foz Côa, e representa dez por cento da Região Demarcada do Douro.




4 comentários:

utopia das palavras disse...

Olá Lucy

Onde mais se pode viajar tão absorta e serenamente senão aqui neste cantinho!
Das palavras do meu poeta Eduardo Aleixo, passando pela labirintica linha do Tua (linda)escutando "Verdes são os Campos" numa versão muito bonita deste grupo Pedra DÀgua. Uma viagem perfeita!
Uma excelente composição de fotos maravilhosas!

Saio...encantada!
Obrigada!

Beijo

Lucy disse...

Ausenda,

Também eu saí encantada dos teus Caminhos(meus)...
Já os trouxe comigo para que a esperança não morra e nos leve a novas sementeiras...

Beijinho e obrigada por emprestares a tua sensibilidade a este Portugal...

Lucy

Agulheta disse...

Olá Lucy. Com este correr de rio que nos trás as lembranças e belos dias passados junto ao mesmo, o Douro e sua paisagem,que parece pintado na tela pelo pintor,com esta magia de cores e gosto ao vinho, como disse conheço bem estes lugares,desde as barragem de Bagauste até há Pesqueira,pois eu e meu marido adoramos a pesca deportiva,sempre que dá lá estamos. O ano passado estivemos de férias num turismo de habitação mesmo junto ao rio,adorei, eu sou mulher da natureza e nada mais há a dizer amiga
Obrigada pelas palavras no blog,e fica Beijinho para ti.

Lisa

Lucy disse...

Lisa,

Não sabia que eras uma mulher de 'pesca' mas é maravilhoso relaxar por estas bandas ainda que o peixe não morda o isco.

O nosso amigo Eduardo Aleixo também é um apaixonado pela pesca, qualquer dia aí vem ele atirar a cana por estas bandas...

Beijinhos,
Lucy