Fotografia do "Rio Cávado, no Gerês"

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Fontes dos Cinco Sentidos no Bom Jesus do Monte

«Permitam que o vosso olhar se deleite com as paisagens deste mundo. Deixem que as texturas se expressem através do toque como uma sinfonia que a vida vos traz e onde esse diálogo entre a consciência e a substância pode acontecer em total liberdade. Deliciem-se com os sabores e permitam que estes ganhem cores e aromas. Naveguem com os sons até ao altar da vossa Alma. Integrem a Vida através de todos os sentidos, permitindo que esta desperte diante de vós e fundam-se com a sua Luz. Só então o vaso estará pronto para acolher a Presença do Espírito e vós podereis, finalmente, Despertar.» 

Pedro Elias (in A chave de Andrómeda)




Nesta parte do escadório estão cinco lances de escadas, intervalados por patamares com fontes alegóricas aos cinco sentidos, pela seguinte ordem: VisãoAudiçãoOlfactoPaladarTacto.



  • Fonte das Cinco Chagas
A primeira fonte, a das Cinco Chagas lança numa concha em pedra cinco vertentes saídas dum escudo ornamentado na parte superior com os instrumentos da paixão.
Tem a seguinte inscrição: Purpureos fontes odium reseravit adoxum nunc in chrisrallos hic amargo vertit amor - «Fontes de púrpura abriu então o ódio amargo; agora o amor transforma-os aqui em cristais para ti».
  • Fonte da Visão
Na fonte da Visão existe uma estátua lançando água pelos olhos e tem na mão esquerda uns óculos. Três águias olham para o sol.
A estátua central é a imagem de um pastor com a mão sobre o peito e os olhos fechados. A inscrição é Vir prudens quasi in somnis vide et vigilabis. Eccles. C. 13, v. 17. - «Varão prudente, toma-as (as lisongeiras palavras) por um sonho e assim vigiarás».
  • Fonte da Audição
A fonte da audição, está representada por uma figura que lança água pelos ouvidos. Por baixo três cabeças de boi.
A estátua central é de um jovem a tocar cítara com a inscrição: Idithum. Qui in cithara pro phetabat super confitentes et laudantes dominum. Paral. 25, 3. - «Que cantava ao som da cítara, presidindo os que cantavam e louvavam o Senhor».

  • Fonte do Olfacto
Na fonte do Olfacto a figura da fonte deita água pelo nariz, tem nas mãos uma caixa aberta e de cada lado um cão.
A estátua por cima da fonte é de um varão sustendo a capa com a mão direita e pegando numa flor com a esquerda e a inscrição: Vir sapiens. Florete flores quasi lilium e date odorem. Eccl. 39, 19. - «Varão sábio. Dai flores como o lírio e rescendei suave cheiro».



  • Fonte do Paladar
Na fonte do paladar a figura deita água pela boca e tem na mão esquerda uma maçã e de cada lado um macaco.
A estátua central representa José do Egipto com um cálice na mão direita e um prato com frutas na esquerda e a inscrição Joseph. De benedictione domini in terra ejus, de pomis coeli, et rore. Deuter. 33, 13. - «A tua terra seja cheia das bênçãos do senhor, dos frutos do céu e do orvalho».

  • Fonte do Tacto
Na fonte do Tacto uma figura tem uma bilha segurada por duas mãos, donde cai água, sendo as aranhas os animais simbólicos.
A estátua central da fonte é de Salomão, segurando o ceptro, com a inscrição: Salomão. Venter meus intremuit ad tactum ejus. Cant. Cap. 5, v 4. - «Salomão. As minhas entranhas estremeceram ao seu toque».

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Escad%C3%B3rios_do_Bom_Jesus


4 comentários:

Campista selvagem disse...

Claro que este sitío é diferente,muitas vezes palmilhei todas as escadas, no entanto nunca reparei com atenção devida esta situação dos cinco sentidos, para mim o Bom Jesus é só um lucal diferente, um sitío especial.

Lucília Benvinda disse...

Pois é, Campista, na próxima repare bem nas fontes.
É verdade que este local é mesmo especial!

Beijinho.

Astrid Annabelle disse...

Você é uma professora incrível Lucy!
Que bonito tudo isso.
Beijo grande
Astrid Annabelle

Lucília Benvinda disse...

Olá Astrid,

Pode ser que na próxima vinda a Portugal possas admirar todas estas 'paisagens'... e beberes destas águas curadoras.

Lucy