Fotografia do "Rio Cávado, no Gerês"

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Carnaval em Famalicão

Esta noite, o Carnaval em Famalicão deixou muita gente em casa - o frio e chuva não convidaram à folia...
É pena, porque já vem ganhando tradição este carnaval, que começou realmente só numa rua, há alguns anos e foi alargando, tornando-se hoje numa verdadeira concentração de mascarados e foliões da localidade e de outras vizinhas que, cada vez mais, aflui à Rua Camões onde tudo começou.  
Este ano não me atrevi a sair de casa, passear entre mascarados de guarda-chuva, ou ficar a observar debaixo de um alpendre não me seduziu.
No entanto, fico aqui a remoer, pois sei que, mesmo assim, a festa continua... a juventude ultrapassa qualquer obstáculo e não será uma chuvinha de neve que impedirá de exibirem os seus trajes, de fazerem a melhor caricatura política, de encherem todos os cafés existentes na área e de beberem cerveja até não poderem mais.
Claro que a música convida, o corpo mexe-se mesmo sem o acordo do pé e a noite fica longa, barulhenta, colorida, um verdadeiro festival de mascarados desordenados, em que cada um pode ser o que quer, nem que seja por uma noite só.

Circo da Vida

Somos palhaços

Animais amestrados

Subimos no trapézio

“Caímos angustiados”


Fazemos cabriolas

Comemos na mão do dono

Andamos de pernas para o ar

“Não conciliamos o sono”


Praticamos ilusionismo

Somos bons domadores

Atiramos facas aguçadas

“Somos uns sonhadores”


Temos trunfos na manga

Metemo-nos na boca do leão

Atingimos bem o alvo

“Vivemos na ilusão”


Somos como o Faquir

Somos equilibristas

Adivinhamos o futuro

“Uns exibicionistas”


Engolimos o fogo

Dançamos na corda bamba

Lemos na bola de cristal

“E a nossa vida é um samba”

Março de 82 - Lucília Ramos



Algumas fotos de carnavais anteriores, aqui mesmo em Famalicão:

2 comentários:

Querida S disse...

Pois é, a juventude não se intimida com o frio.
Haja alegria para acabar com todas as prisões!: de ventre, etc, etc e etc
...mas que nenhum me dê conseeelhos"
Um beijinho por detrás das máscaras que usamos neste circo da vida. Mas por detrás não faz falta, não é? Pausa para reflexão...

E que a nossa vida seja mesmo um samba! Bom, acho que prefiro um tango...:)
É isso: um tango! E que tudo o mais vá p´ró ... carago.

Eduardo Aleixo disse...

Não aprecio o Carnaval. Nunca apreciei. Talvez porque não goste de máscaras. Mas gosto de ver quando vou. Mas não vibro muito.
Mas gostei do teu poema sobre o Circo da Vida. Somos mesmo tudo isso que escreveste.
Um abraço