Fotografia do "Rio Cávado, no Gerês"

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Para começo de Verão...


Uma ida à praia ou ao campo, desde que haja água por perto, é a maior benção para um tempo sufocante. O fim de semana passado foi de um calor abrasador. No domingo não havia lugar onde colocar uma toalha, quanto mais um automóvel!!! Sair de casa pela tardinha ainda é a melhor solução!...

Praia de Vila do Conde e Caxinas:




A caminho de Abadia, passando por Ponte do Porto, Amares e Santa Maria do Bouro:



Santuário de Nossa Senhora da Abadia

Não tendo a sofisticação do mosteiro de Santa Maria do Bouro, em baixo no vale, este santuário mariano, muito antigo, impressiona pelo seu enquadramento paisagístico excepcional, a meia encosta e rodeado por uma mata verdejante. Os edifícios actuais são setecentistas, construídos num granito austero. Há uma calçada medieval que trepa a encosta ligando os dois locais de culto, oportunidade para sentir esta serra extraordinária que se eleva até Terras do Bouro.

Elementos Artísticos: O interior do templo setecentista, tem três naves, separadas por arcadas de volta inteira assentes em colunas toscanas.

Significado religioso: Neste local, segunda a lenda, teria sido encontrada num penedo, por revelação miraculosa, uma imagem da Virgem Maria, onde, supostamente, foi escondida, na altura da invasão árabe. Do primitivo santuário não existem vestígios.

http://www.lifecooler.com/Portugal/animacao/SantuariodeNossaSenhoradaAbadia

Mais informação em:

http://www.geocities.com/Heartland/Bluffs/6737/Abadia/Abadia.htm


4 comentários:

Agulheta disse...

Olá Lucy.É sempre agradável ver as nossas praias mais chegadas a nós,Vila do Conde,foi durante anos a minha preferida,agora os filhos voaram,e gosto mais de ir com o marido para o alto minho,Viana Caminha, Moledo.
Beijinho

Eduardo Aleixo disse...

Por isso digo:
- Ó mar, só meu, no Inverno, no corpo teu...
Corpo do mar. Corpo teu. Corpo da solidão. Mar e céu.
Tudo só meu, no todo sendo.
Com a canção das ondas.
E do vento.
Bem haja o teu blogue.
Beijo.

Eduardo Aleixo disse...

Caminha. Moledo. O que a Agulheta me faz vir à lembrança! Há muitos anos...arranjei uma namorada em Caminha, precisamente no Moledo. Nunca mais a vi! Era moça fina! Estava eu acampado no Parque da Orbitur, no Moledo. Rio Minho, lindo. Mas, as águas frias! Ora eu sou tipo de águas quentes. Éramos dois casais novatos. Na praia fomos ao banho. Vem daí, Eduardo... Claro, digo eu. Alguma vez eu poderia fazer má figura? Porra! Seria uma vergonha. Lá vou eu como um peixe, de peito aberto, com ela vaidosa a sorrir, que valentão!...Mal sabias tu o sacrifício...Que frieza de águas! Nunca mais esqueci o episódio. Acho que ainda nos beijámos na boca...Não me lembro do nome dela...Claro que se soubesse também nãi diria!

Lucília Ramos disse...

Pois é, meus amigos, é muito bom ir até à praia, desde que haja lugar, o pior é mesmo a água gelada!

Com então, Eduardo, nos teus tempos de menino e moço arranjaste uma paixão minhota!? "Cum raios, sou de Caminha! - disse-te ela. E depois, foi por água abaixo o amor... ou congelaste tu a paixão?
Nã digas que eu adivinho!!!

Voltem sempre.
Beijos,
Lucy